Prevenção

e diagnóstico

A PREVENÇÃO

No Brasil, a estimativa para 2015 aponta para a ocorrência de aproximadamente 576 mil casos novos de câncer, incluindo os casos de pele não melanoma, demonstrando o tamanho do problema do câncer no país.

O câncer de pele do tipo não melanoma (182 mil casos novos) será o mais incidente na população brasileira, seguido pelos tumores de próstata (69 mil), mama feminina (57 mil), cólon e reto (33 mil) e pulmão (27 mil), estômago (20 mil) e colo do útero (15 mil).

Medidas preventivas importantes para reduzir a ocorrência do câncer:

  • Controle do tabagismo, relacionadas principalmente para se evitar o câncer de pulmão;
  • A promoção da alimentação saudável, para a prevenção dos cânceres de estômago e intestino, entre outros;
  • A vacinação preventiva para evitar infecção pelo Papilomavírus humano (HPV) e hepatite viral e assim se evitar respectivamente o câncer decolo do útero e de fígado.
  • De um modo geral, a adoção de estilos de vida mais saudáveis, como uma alimentação adequada e atividades físicas regulares, permitem um melhor controle dos cânceres de mama, próstata e intestino.

COMO DIMINUIR O RISCO DE TER CÂNCER

smoke_free
Não fume. Fumantes têm 10 vezes mais possibilidade de ter câncer de pulmão do que os que nunca fumaram. O consumo de tabaco é a causa de morte que mais pode ser prevenida hoje em dia.

local_dining
Abandone costumes alimentares pouco saudáveis que causam obesidade. Prefira escolher alimentos com pouca gordura., que tenha fibras, grãos e frutas.

rowing
Faça atividades físicas regularmente e mantenha um peso adequado.

wb_sunny
Evite a exposição excessiva ao sol, use sempre filtro protetor solar (FPS 15-30) e roupas que diminuam esse tipo de exposição.

local_bar
Evite o consumo de álcool. Grandes quantidades de álcool podem provocar câncer de boca, esôfago e fígado. Consumir com moderação é um fator importante, principalmente se você também fuma.

bubble_chart
Evite a exposição ocupacional, seguindo as normas de seu trabalho para evitar exposição às radiações, agentes químicos e pesticidas.

O Diagnóstico

O cirurgião oncológico é o médico especializado que dispõe de vários recursos para um diagnóstico correto.

O cirurgião oncológico é o profissional qualificado com conhecimento para dar um diagnóstico correto, utilizando os seguintes recursos:

  • sinais
  • sintomas do paciente
  • exame físico, que é essencial para determinar o estado do paciente
  • exames laboratoriais gerais e específicos
  • exames de imagem, que mostram a lesão em caso de existência da doença
  • marcadores tumorais
  • biópsia, que é a obtenção de uma amostra do tumor suspeito para exame microscópico.
Realização:
Apoio Nacional:
® Todos os direitos reservados | 2018